segunda-feira, 11 de março de 2013

Educação e os seus "valores"

           O povo, em sua grande parte é muito sábio, e sempre de alguma forma contribuíram para o engrandecimento e crescimento desta gloriosa terra. Em um momento o povo disse uma sabia frase: ''Às vezes, as correntes que nos impedem são mais mentais do que físicas. Pense, pois muitas vezes amarram você em nada e você acredita. '' 

            Algumas vezes o que nos impede de mudar ou de questionar o sistema vigente, são coisas tão meras e pequenas, mas que estão impregnadas em nossa mente, e que nos gera um certo medo de mudança ou acaba tornando-se uma utopia. A educação molda nossa mente e nosso caráter desde pequenos, como pensar num mundo diferente se não nos ensinam?
A educação tem servido por muito tempo como aparelho Ideológico do Estado, nos levando a uma “submissão” ao capitalismo.

            Podemos observar que é pela escola que nos sujeitamos ao Estado, seguindo severamente ao que aprendemos em relação à Ordem e Progresso. A escola, mediante ao que ensina, luta contra o folclore, contra todas as sedimentações tradicionais de concepções do mundo, afim de difundir uma concepção mais moderna, cujos elementos primitivos e fundamentais são dados pela aprendizagem da existência de leis naturais como algo objetivo e rebelde, às quais é preciso adaptar-se para dominá-las, bem como de leis civis e estatais que são produto de uma atividade humana estabelecidas pelo homem e podem ser por ele modificadas visando a seu desenvolvimento coletivo.
Por exemplo, a escola transmite as idéias e valores que justificam as praticas sociais vigentes e, na medida em que não consegue assimilar extensos segmentos de possíveis estudantes, acaba excluindo-os da apropriação da herança cultural.

           No Governo de Getulio as crianças saiam pelas ruas com bandeiras do País. Como justificar esse fato? Através das escolas que manipulavam os estudantes com a idéia da defesa da nação.
Como já dizia a musica de Geraldo Vandré:
Vem vamos embora que esperar não é saber; quem sabe faz a hora não espera acontecer.
Podemos transformar e mudar nossa educação, afinal que tipo de ser humano pretendemos formar em nosso Pais? O homem deve ser apenas sujeito, ou também agente de sua historia?

Bia Withoft

Nenhum comentário:

Postar um comentário