domingo, 5 de fevereiro de 2012

Em todo lugar


ImprimirE-mail



EM TODO LUGAR

Não há quem possa ficar tão longe
Que não possa ser visto assim
Os teus olhos estão em todo lugar
Aonde quer que se vá
Aonde quer que se vá
            

Se eu fizer a minha casa no mais alto
Se eu armar a minha cama entre os mortos
Os teus olhos vão estar eu sei
Em todo lugar

            
Quando me levanto e quando me deito
Até mil anos parecem dias
Não há palavras na minha boca
Mas já existem sons
Nos teus ouvidos

Nenhum comentário:

Postar um comentário