quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Eu Não Sou o Dono da Verdade

Talvez alguns se identificarão com esse texto, aliás, tenho certeza que muitos vão.

Um dos grandes problemas de nós cristãos, é que achamos que sabemos de tudo, que somos os donos da verdade, que sabemos mais que todo mundo e por isso nos achamos no direito de querer que as pessoas vivam algo que achamos que elas têm que viver.

Mas o que mais me preocupa é que na verdade somos assim o tempo todo, inclusive em nossa comunidade. Precisamos sim conhecer a palavra de Deus e ensinar as verdades sobre Cristo, e essas são absolutas, mas o que nos tornamos foi pessoas que são apenas observadoras dos erros alheios.

Tenho aprendido com Deus, que nem todos pensam como eu ou interpretam um texto como eu, nem todos adoram a Deus como eu adoro e isso que não quer dizer que Deus não receba a adoração de todos nós.

Deus jogou algumas verdades bem no meio da minha cara e eu preciso mudar. Ele me ensinou que na Igreja nem sempre vão existir profissionais. Eu sempre fui muito crítico com música, por exemplo, mas aquele irmãozinho desafinado que não fez uma aula de canto e talvez nem tenha condições de fazer, esta cantando pra adorar ao seu Deus e ele acredita ser amado pela sua comunidade, ele espera o meu apoio por que é meu irmão, por que ele acredita que meu amor como irmão em Cristo vai fazer com que eu o ajude ou de uma palavra de apoio. Aprendi que existem dois lugares onde desafinados são bem-vindos, o banheiro e a igreja.

Não posso continuar a ser tão chato, preciso amar meus irmãos e aceita-los como eles são. Amar e apoiar obreiros que talvez a única função seja sentar no púlpito, talvez alguns nunca tenham falado em um microfone, mas são meus irmãos, é a minha comunidade. Existem duas opções pra se caso eu não goste da liturgia da minha igreja, ou eu mudo de comunidade ou eu tento influenciar para a mudança da liturgia.

Não sei você, mas eu preciso mudar com urgência e compreender que nunca vou ser o dono da verdade, preciso amar mais e criticar menos.
Abraço a todos.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Missão Integral

Falar em missão integral para muitos é algo difícil. Uma matéria apenas, teoria e mais teorias. Talvez esse venha a ser o pensamento de muitas pessoas. Mas o fato é que muitas estão totalmente equivocadas quanto a Missão Integral e a sua importância para a Igreja.

Para entendermos o que é missão integral, faz-se necessário que tenhamos uma ideia do que é Missão para a Igreja de Cristo. Missão não é apenas um departamento da Igreja, que se preocupa apenas em fazer um culto por mês. Missão não é apenas falarmos da miséria e sofrimento da população mundial e comover os irmãos com histórias tristes. Então o que é Missão?

Temos algumas citações bíblicas fundamentais para entendermos a Missão da Igreja. A primeira está em Mateus 28.19: “Ide e fazei discípulos de todas as nações...” e a segunda que é a mais conhecida por todos que está em Marcos 16.15: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda a criatura.” Cito apenas essas duas ordens de Cristo a Igreja. Fica bem claro para todos qual é o papel da Igreja, a Missão dela: fazer discípulos, pregar o Evangelho. Essa é a verdadeira missão.

O termo ‘Missão Integral’ é um termo novo para muitos, mas que na realidade sempre esteve presente na vida de muitas pessoas. Surgiu essa ideia de Missão Integral aqui na América Latina, no século XX, quando alguns pastores e teólogos taxados por muitos como tradicionais, se incomodavam em pregar um evangelho que apresentava uma salvação apenas da ‘alma’, e que não trazia uma mudança real na sociedade.

Voltando no tempo, na revolução Industrial no século XIX, surgiu também a idéia da sociologia, um assunto tratado em universidades, e seminários católicos, que analisava a realidade da sociedade. Com isso as religiões e os religiosos da época começaram a analisar também a sociedade por meios dos princípios do Evangelho de Cristo. Com essa análise, chegou-se a conclusão de que as riquezas estavam nas mãos de poucos, viu-se também a realidade dos trabalhadores e então se formulou algumas sugestões na teologia. O principal deles foi o conceito do reino de Deus que deixou de ser apenas o reino de Deus vindouro, o destino final de todos os salvos. Elabora-se então a ideia de que o reino de Deus poderia ser implantado também aqui na Terra a partir de agora.

De lá pra cá muito se foi discutido quanto a importância da Missão Integral para a Igreja. Para ficar mais fácil para entendermos, a Missão Integral é o Evangelho todo, pregado para todos, de todas as formas possíveis. É a Igreja se envolvendo na sociedade com o interesse de gerar mudanças nas pessoas, não apenas pregando um céu maravilhoso e lindo, mas uma vida aqui nesta terra abençoada por Deus. Missão Integral é a Igreja se envolvendo em meios que para muitos não é certo, como a política. É a Igreja dar o alimento espiritual aos necessitados, mas também dar uma comida que venha lhe saciar a fome física.

Lembro-me de uma ministração do Pastor Samuel Câmara em Blumenau, quando ele dizia: “Deus não é um caça-fantasma que está a procura de almas.” Deus quer sim nos salvar e nos dar um lar no céu, mas Ele quer também nos dar uma vida terrena abençoada.

Leia Mateus 25. 31-46, onde Jesus está falando sobre os cuidados que devemos ter com os necessitados. Quantas vezes se preocupamos tanto em dizer para alguém: Jesus te ama, mas se esquecemos de dar uma refeição para uma pessoa faminta. Oremos a Deus para que nós como Igreja de Cristo, venhamos a ter um compromisso em levar as boas novas de salvação, mas também estarmos levando o auxílio, o alimento, as vestimentas a todos os necessitados. Isso é Missão Integral!!

Por. Josias Alencar Nunes

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Eu Recomendo




Todo mês fico ansiosamente aguardando pelas reuniões do Fórum Cristãos de Profissionais, que é realizado na IBAB. O vento é realizado uma vez por mês e transmitido ao vivo, todo o conteúdo é disponibilizado no site do Fórum, desde a cartilha sobre os assuntos tratados além dos videos do evento.
O ultimo encontro foi realizado no dia 08 de Agosto e o tema foi, Trabalhar pra que? e teve a participação de Carlos Nomoto, além do Pr. Ed Rene Kivitz, que é o idealizador do evento.
Sem duvida vale a pena conferir.

Abaixo o linck.

http://www.forumcristaoprofissionais.com.br/fcp/2011/08/afinal-trabalhar-para-qua.html

domingo, 21 de agosto de 2011

A luta constante contra a superficialidade

Gosto muito da história de Jó, e o que me chama mais atenção, é a intimidade que ele tinha com Deus, pois estava vivendo dificuldades terríveis, sendo provado mesmo sem merecer qualquer castigo. Jó era um homem que conhecia o seu Deus e falava com ele, tanto que estava disposto a passar o que for, mas não abriria desta amizade e comunhão.

Como muitos de nós Jó também era um empreendedor um homem ocupado com uma grande família e funcionários para cuidar, mas ainda assim vivia de uma intimidade muito grande com Deus.

O que quero dizer é que estamos vivendo dias onde o tempo para Deus se tornou escasso, dizemos servir a um Deus que na verdade não conhecemos e não temos o mínimo de intimidade, estamos mais íntimos de um mundo virtual que procuramos conhecer cada dia melhor e a bem da verdade nos tornando dependentes dele. Parece cada dia mais difícil estar com Deus e buscar conhecê-lo, talvez os artigos e outros conteúdos mostrem quem é Deus, talvez não precisasse mais procurar conhecê-lo, pois a internet já nos ensinou tudo que é necessário saber a respeito.

O apelo que faço a mim mesmo, é que eu venha procurar a ter experiências pessoais com aquele que me criou e deixar que ele mostre suas intenções pra mim através da sua palavra, da oração, dos louvores para que eu venha conhecê-lo num mundo que não seja o virtual, mas sim o Espiritual.

Penso que Deus tem muito a nos falar, mas nós não temos dado ouvido e isso tem nos levado a uma superficialidade espiritual. Estamos perdendo muitas coisas, enquanto não o buscamos, nos deixamos levar pelos desejos do nosso coração e para mais perto do pecado, ficando distantes de um Deus que é perfeito e santo.

Busquem forças meus amigos e passem a conhecer a Deus de forma intima para desfrutar de uma vida completa, onde qualquer tipo de renuncia por causa de Deus não será dolorida, mas sim prazerosa pois será por amor a alguém que se mostra a nós todos os dias.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Eu Recomendo


A internet nos disponibiliza muito conteúdo sobre diversos assuntos. Quando se trata de assuntos voltados para Cristãos, como em qualquer outro tipo de assunto, existe coisa boa e coisa ruim. Por este motivo de vez em quando estarei sugerindo artigos, videos, blogs e outras coisa relacionadas a conteúdos cristãos.

Quero iniciar recomendando o blog do Pr. Ed Rene Kivitz, e especialmente hoje o Talmidim 188: Rede. Ed Rene Kivitz faz um breve comentário sobre uma fala de Jesus, nos tentando fazer compreender que a rede do Reino de Deus pega peixes bons e maus, mas que somente Deus vai julgar os bons e os maus.
Vale a pena conferir.

http://edrenekivitz.com/blog/2011/08/talmidim-188-rede/

sábado, 6 de agosto de 2011

Perdão

A poucos dias tive a oportunidade de conversar com uma senhora idosa, alguém que já tinha vivido bastante e não lhe falta histórias pra contar, pelo menos era isso que acreditava ver antes de conversar com ela. Talvez como a maioria dos jovens, não estou acostumado a tirar um pouco do meu tempo pra conversar com pessoas idosas e hoje percebo que aquela conversa foi extremamente útil.
Aquela senhora que antes parecia tão normal e feliz, na verdade não encontrava lembranças boas em sua longa história de vida, vivia depressiva, estressada e sem motivos para viver. Alguns minutos de conversa foram o suficiente para compreender um pouquinho como a vida e as pessoas machucaram aquela mulher, confesso que ao ouvir ela contar todo o sofrimento que ela passou e ainda passa, não tinha muito que dizer. Estava presenciando uma pessoa cheia de raiva em seu coração, com raiva das pessoas que a machucaram que falaram coisas que ela levou a vida inteira em sua mente e nunca conseguiu perdoar. A palavra Perdão não existia no vocabulário dela, lembro que em algum momento disse que Jesus nos orienta a pagar o mau com o bem, mas a reação dela foi instantânea e negativa sobre aquilo que falei.
Durante nossa conversa, veio a minha mente que eu não tinha as mínimas condições de dizer para aquela mulher o que ela deveria fazer, pois seu coração esta muito endurecido com as injustiças que a vida lhe causou, o que pude fazer foi orar com ela, pedindo a Deus que ele entrasse no abatido coração daquela senhora.
Contei este fato, apenas para dizer que o perdão nos curar, traz paz em nosso coração. Fico admirado ao ver pessoas que passam a vida inteira e morrem com raiva e rancor dos outros, pessoas que não conseguem perdoar, pessoas que tem um orgulho maior que tudo a ponto de viverem a vida inteira tentando mostrar para alguém que é melhor ou que se deu bem na vida, pessoas que querem ver o mau de quem lhe fez mal, pessoas infelizes e que no fim da vida terão apenas frustrações para contar.
Não tenho condições de dizer que se você não perdoar você não vai pro céu ou ira perder a salvação, até porque quando pedimos perdão por que apenas temos medo de ir para o inferno, nós na verdade não perdoamos. Na verdade quando fazemos isso, pedimos desculpas e não perdão. Existe uma grande diferença entre pedir perdão e pedir desculpas, pois quando perdoamos nós esquecemos, o mal que sofremos ficou pra traz e é como se não tivesse acontecido, se você me ferir com suas palavras, independente do que você tenha falado eu preciso te perdoar e esquecer, o perdão significa quase que o inicio de um novo relacionamento, seja ele de amizade ou conjugal, agora, se você bater no meu carro, eu também irei te perdoar ou desculpar, mas você ainda terá que pagar pelo concerto do meu carro.
As vezes perdoar é difícil e muito dolorido, mas traz cura e paz. Jesus disse que se perdoarmos ele irar nos perdoar, mas se não perdoarmos, não seremos perdoados por Cristo.
Sei que você deve estar pensando que pra mim é fácil escrever e na verdade não tenho conhecimento nem experiência suficiente para explanar melhor este assunto, mas minha oração é para que eu mesmo venha ter condições de perdoar, de esquecer, chegar ao final da vida sem ressentimentos e raiva de qualquer pessoa. Peço para que Cristo me de graça para enfrentar situações que ainda não enfrentei, peço para ele me ensinar a pagar o mal com o bem, para viver bem enquanto estiver aqui, pois pessoas que guardam ressentimentos, não conseguem ser verdadeiramente felizes e completos.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Talvez você ja tenha lido, ou ouvido falar sobre este excelente livro da editora Mundo Cristão. Este livro nos traz uma ótima história com importantes lições para nossa caminhada cristão.
Abaixo esta a sinopse e um pouco sobre o autor.



Um desafio e tanto

Em seus passos o que faria Jesus? narra as profundas mudanças ocorridas quando um pastor desafia sua comunidade a praticar a fé em Jesus Cristo.

À medida que aceita o desafio, coisas incríveis acontecem em sua vida e na vida dos que o rodeiam. A pergunta “o que Jesus faria em meu lugar?” passa a orientar todas as ações desse grupo, causando uma reviravolta sem precedentes.

Escrito por Charles Sheldon e publicado pela primeira vez em 1896, Em seus passos o que faria Jesus? tornou-se rapidamente um best-seller mundial.

Estima-se que, apenas em inglês, suas vendas superaram os 50 milhões de exemplares. Leitores de todo o mundo continuam a surpreender-se com o desafio proposto há mais de um século.


Charles Monroe Sheldon nasceu em 1857 e cresceu em Dakota, EUA. Filho de pastor, Charles fora incentivado a ler diariamente a Bíblia, desabrochando nele, desde cedo, uma profunda paixão pela literatura. Aos 12 anos, começou a contribuir para um jornal de Boston. Em seguida, surgiram dezenas de pequenas obras e centenas de artigos para revistas e jornais.

A influência de seu pai pôde ser percebida também na vocação pastoral. Formado pelo Andover Theological Seminary, Charles marcou seu pastorado por iniciativas inéditas à época, disseminando clubes de leitores, jardins-de-infância (experiência trazida da Alemanha), ministérios com trabalhadores e apoio aos pobres. Charles dizia que pregava o evangelho para as pessoas simples. Quase 100 anos antes do movimento dos direitos civis, Charles Seldon fazia questão de estar e servir entre a população negra.

Charles Sheldon aposentou-se do púlpito em 1919, mas continuou trabalhando como editor por diversos anos. Em 24 de fevereiro de 1946, faleceu aos 89 anos, vítima de derrame. Sua obra mais popular, Em seus passos o que faria Jesus? tornou-se o nono livro mais vendido da história.