segunda-feira, 7 de maio de 2012

A Religião preenche seu tempo e não seu coração


Assistir a vida e apenas existir é uma das fases mais doloridas do ser humano e o mundo é cheio de gente assim. Em meio o selvagerismo do consumo e trabalho, se não cuidarmos perdemos coisas que realmente são essenciais e importantes.
As igrejas evangélicas ainda estão lotadas e apesar de isso não ser ruim, a verdadeira razão delas estarem lotadas é o mais inútil e egoísta dos motivos, o interesse próprio.
A falta de alternativas para ter seus problemas resolvidos leva as pessoas a procurarem a religião e se apegarem a fé, recorrem a Deus, o Deus que fica completamente esquecido nos momentos de bonança.
Acho que se eu fosse Deus, tinha muita gente ferrada, inclusive eu mesmo, afinal alem de pecarmos todos os dias, somos extremamente egoístas, todos nós somos assim, com raríssimas exceções.

Enquanto a vida vai passando a gente continua achando que somos o povo mais feliz da terra e que nossa igreja é lugar de gente feliz, sendo que essa felicidade vai depender do que temos e em que posição estamos.
Estamos acostumados a colocar tudo nas mãos do nosso misericordioso Deus, o importante é que quando Jeová bradar na terra tudo será resolvido e ai eu vou adorar a Deus, ai sim sentirei alegria em meu coração. Se o Apostolo Paulo vivesse em nossa época ele não freqüentaria templos, ou pelo menos a grande maioria deles, ainda mais Paulo que sofreu tanto pelo evangelho que se entregou ao Reino de Deus, imagina esse Paulo em nossos cultos da vitória ouvindo as pessoas falarem que Deus vai dar tudo que elas querem, imagine Pedro dizendo em nossos púlpitos que é agradável que soframos agravos por causa da consciência para com Cristo e Paulo dizendo que para servir aos nossos patrões como se fosse a Deus.

O sol nasce para os bons e para os maus, por isso a felicidade não será encontrada em palavras positivas nos cultos de milagres. Somente a graça e a presença de Cristo para nos fazer suportar os momentos amargos da vida e nos dar sentido para viver e suportar este mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário