domingo, 25 de março de 2012

Porque não mandar um e-mail

Certo jovem muito dedicado a igreja e fervoroso em suas orações, teve um sonho em que Deus falava-lhe diretamente, dizendo que havia de pregar o evangelho a um executivo famosíssimo de uma grande multinacional. Porém haviam várias questões a serem consideradas, a empresa onde esse executivo trabalhava ficava do outro lado do país, o jovem mal tinha dinheiro para pagar sua faculdade e muito menos tempo pois ele trabalhava e estudava. O tempo passou, meses, anos e ele acabou esquecendo-se do sonho. Então, certo dia ao chegar no seu escritório, uma conquista que conseguiu após pegar o canudo na faculdade, abriu o site de notícias, como costumeiramente fazia todas as manhãs e para sua surpresa lá estava a triste notícia que aquele grande executivo havia falecido, no mesmo instante aquele jovem foi tomado de um sentimento que mesclava culpa e desespero, ajoelhou-se ali mesmo, iniciou um diálogo com Deus.
Jovem: Deus não deixe que esse executivo vá para o inferno!
Deus: Não se preocupe com o executivo meu filho, ele foi salvo! Preocupe-se com você que negligenciou aquilo que eu havia lhe mandado fazer.
Jovem: Mais Deus, aquele era um momento impossível, não podia atravessar o país para pregar para esse executivo, não tinha tempo e nem dinheiro para isso!
Deus: E porque você não mandou um e-mail? Foi assim que esse homem foi salvo!

Vilto Reis.

sábado, 17 de março de 2012

Um chamado e seus desafios


Eu poderia eleger qualquer outro tema para abordar e compartir com os leitores desse blog, mas lhes explico o porquê da preferência por esse assunto. Bem, o maior motivo é porque é a principal tarefa da igreja, e também porque de uma forma simples e objetiva quero falar de algo que eu vivo e amo, que é fazer o nome de Cristo conhecido.
Meu anseio maior é transmitir de forma clara tudo que esta em meu coração e espero que nessas poucas linhas possamos juntos aprender, respeitar opiniões e principalmente ler uma mensagem de Deus diretamente aos nossos corações.
            Ao falar de chamado missionário, nos dispusemos a propor um tema com uma imensidão de conceitos e pensamentos diferentes e com isso cada um de nós forma a sua própria opinião. Para ficar mais claro podemos citar alguns exemplos; algumas pessoas vinculam o tema abordado com: coragem, chamado especifico, entrega e muitas outras palavras que passam por nossa imaginação, e permita-me ser um pouco mais ousada em dizer que muitos ao escutar sobre chamado, missões ou algo nesta mesma linha de pensamento, em seguida pensam em sofrimento, aflição e dias difíceis, enfim, escutamos uma grande quantidade de opiniões que nos deixam às vezes um pouco confusos e sem saber realmente o que é um chamado missionário e quais são os seus desafios.
   A proclamação do evangelho é uma tarefa de toda igreja, todos somos chamados para esse ofício, podemos ver em Mateus 28.18-20, Jesus ordenando aos onze homens, com os quais mais dividira seu ministério terreno, que fossem ao mundo inteiro e fizessem discípulos em todas as nações, Ele lhes disse que ensinassem a esses novos discípulos tudo que haviam aprendido dele; ou seja, o chamado para a grande comissão, para ficar bem claro podemos ir ao significado da palavra; Comissão significa o ato de cometer; encarregar; também significa encargo e incumbência; isso não nos deixa duvida em relação ao nosso dever aqui na terra, o mundo é o nosso campo missionário e devemos aproveitar todas as oportunidades que temos de fazer Cristo conhecido.
Contudo não podemos ignorar o fato de que muitas pessoas são comissionadas a um chamado especifico; ou seja, para realizar uma tarefa exclusiva que é colocada em nossos corações pelo Espírito Santo, assim como o chamado missionário. Mas eis aqui a questão, como enfrentar os desafios quando sentimos um chamado especifico.
Uma palavra muito importante e precisa para todos que se sentem convocados a realizar uma tarefa missionária é renuncia, que para muitos se torna um grande desafio, porque sentem um ardor e são conscientes que tem um chamado de Deus para algo específico, mas por medo de renunciar preferem ficar em sua zona de conforto, e com isso gera um grande problema que é a Omissão, esse tema muito tem me incomodado, vemos em nossas comunidades pessoas chamadas por Deus e com uma capacidade enorme, porém lhes falta renuncia, por isso muitas vezes perdem a oportunidade de fazer aquilo em que realmente foram comissionados.
Outro desafio muito grande para muitos é o medo de se envolver e assumir responsabilidades, preferem não fazer a assumir muitos compromissos, porque sabem que o serviço ao Senhor necessita entrega renuncia e também compromisso.
Vivemos em dias difíceis, em um mundo acelerado podemos assim dizer, onde infelizmente os valores estão invertidos, e isso gera no individuo cansaço e sobrecarga, pois queremos entrar no padrão que nos é imposto e assim dia após dia nos afastamos mais dos propósitos do Senhor; acabamos negociando o nosso chamado por coisas que são passageiras e corruptíveis. Meu objetivo com essas palavras não é dizer que esta errado correr atrás dos nossos sonhos, isso é lindo e necessário devemos sonhar, o que me preocupa é ver a quantidade de pessoas e principalmente de jovens  conscientes que Deus lhe entregou uma tarefa especifica, mas porém omissos deixando que os desafios que possivelmente virão juntamente com a chamada, lhes coloquem medo e insegurança e isso gera desistência ao chamado do Senhor.
              Poderia citar aqui vários exemplos tanto da bíblia como também de grandes homens que por um chamado renunciaram muitas coisas, mas que foram grandemente abençoados por Deus, tiveram uma vida de êxito e conquista, pois descobriram o segredo, que fazer a vontade de Deus é a melhor escolha que podemos ter. O mais lindo é que quando damos preferência ao ide do Senhor as outras coisas naturalmente sucedem. Eu sou prova disso, estou no campo missionário e também tive e diariamente tenho que fazer renuncia, mas com minha pouca experiência posso dizer com toda convicção sou feliz, e cumprir a tarefa especifica que o Senhor me entregou; me completa, e ao passar o tempo vejo as bênçãos do Senhor na minha vida.
              Portanto para terminar minha fala quero dizer que se você sente que tem um chamado especifico peça ajuda ao Senhor em relação a isso, com ele é seguro que os obstáculos e desafios se tornarão pequenos, mas, por favor, não deixe de cumprir o que Deus te comissionou, seja um inconformado com este século, faça a diferença esteja disposto a renunciar e eu tenho certeza que faremos, ou melhor, já fazemos parte da geração que vai sarar essa terra, e que fará prodígios no nome do Senhor.

“Sentir no coração um chamado não quer dizer que Deus nos mostrou todo o caminho mais sim que Ele nos deu um horizonte a seguir, porém a todo o momento temos que estar preparados para que Ele nos mostre coisas novas.” (Anônimo).

Bruna Carielle Garcia, (Corrientes Argentina).

terça-feira, 13 de março de 2012

Que Deus é esse?


Por Dallas Willard

O teste crucial de qualquer teologia é este: é o Deus apresentado um Deus que se possa amar, e amar de todo o coração, alma, entendimento e força? Se a resposta ponderada e sincera é “não”, então é necessário procurar em outro lugar e com mais profundidade. Pouco importa a sofisticação intelectual ou doutrinária da abordagem teológica. Se ela não apresenta às pessoas um Deus que se possa amar, então está errada.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Bom mesmo era passar por baixo da catraca.

Lembro-me como se fosse hoje do tempo em que saía com minha mãe para visitar a tia Tereza, na Helio Coelho Gomes em Blumenau, época que ainda não pagava passagem de ônibus e das duas uma, passava por baixo ou por cima da catraca. Enquanto minha mãe cuidava de mim e se preocupava em olhar onde era o ponto que saltávamos, eu provavelmente ficava a fazer qualquer outra coisa, menos me preocupar com qualquer circunstancia. Hoje apenas posso me recordar de tudo isso e lembrar de como era boa a irresponsabilidade da infância.

sexta-feira, 2 de março de 2012

Rápida sobre religião.

Confesso que os últimos dias têm sido difíceis, angustiantes, de batalhas que não sei se serão vencidas. Em meio as circunstancias mais difíceis que passei, percebi que a religião nos empolga e até nos faz ter esperança de que amanhã a nossa vitória virá (em alguns lugares você compra com sua oferta).
Só tenho a lamentar dos que precisam de coisas assim para ter um pouco de alegria e esperança, pois religião cansa e a empolgação pode acabar e você terminar num buraco maior ainda, ou quem sabe você seja vitorioso mesmo e fique alegre até o próximo problema aparecer.